História

Na sequência da grande catástrofe que destruiu Vila Franca do Campo, em 1522, um frade aconselhou a população da ilha a que tomasse por advogada a Virgem Santíssima do Rosário.

Álvaro Lopes do Vulcão, um rico habitante da Lagoa, mandou erigir uma ermida, anterior a 1543, no local onde se situa atualmente a igreja e dedicou-a a Nossa Senhora do Rosário.

Em Setembro de 1596 o Rosário é elevado a paróquia, dado o aumento da população. O Bispo de Angra, D. Manuel Gouveia decidiu criar esta paróquia na ermida de Nossa Senhora do Rosário, porque numa visita que fez a S. Miguel verificou que os habitantes do Rosário tinham “grande trabalho e desconsolação no ouvir dos ofícios divinos na Igreja Matriz de Santa Cruz, por serem os caminhos fragosos e de grotas”.

Foi seu primeiro vigário o Padre João de Gouveia. António Lopes de Faria, um importante lagoense do século XVI protegeu a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e mostrou ter especial devoção pela Mãe de Nossa Senhora.

No seu testamento de 1573 declarou ter mandado fazer na mesma ermida um altar de Sant ‘Ana, que se encontra à direita do altar-mor.
Ao longo dos séculos houve obras constantes (ampliações, restauros e conservação). Devido à frágil construção e frequentes tremores de terra, a Igreja acabou por se encontrar num precário estado. Tomando posse no ano de 1764, o vigário Manuel Raposo da Câmara decide no ano seguinte deitar a igreja abaixo e reconstrui-la. Esta obra ficou concluída em 1772.

Este vigário prometeu a Nossa Senhora do Rosário que se diria missa no mês de Outubro como agradecimento por ter conseguido concluir as obras. Dai o motivo da festa de Nossa Senhora do Rosário ser no segundo domingo de Outubro.
Em 1773 benzeu-se a nova igreja do Rosário.

Até então havia casas encostadas à igreja. Em 1772 sentiu-se a necessidade de expropriar algumas casas para construir o adro e a rua que fica a norte.
Adro este que foi construído com as pedras provenientes da Ermida do Espírito Santo, sita na atual rua com o mesmo nome.

Em 1796, ficou concluída a torre da igreja e foram colocados os sinos no mesmo ano.

Pela mesma época, a família Faria e Maia, protetora do altar de Santa Ana ofereceu à igreja a valiosa imagem de Sant ‘Ana. A peça de magnífica qualidade é provavelmente de origem portuguesa com influência italiana.

A Igreja de Nossa Senhora do Rosário adquiriu o famoso órgão de tubos atual, mandado vir da Alemanha, a pedido do Padre Jacinto Inácio de Sousa. Tocou pela primeira vez em Maio de 1886. O valor do órgão na época foi tão elevado que a Junta de Paróquia teve que contrair um empréstimo. Foi um investimento que ainda hoje traz prestígio à Igreja pois não só tem sido conservado ao longo dos anos em ótimo estado de afinação como é considerado o melhor dos Açores.

Foi este empenhadíssimo pároco quem também encomendou a imagem do Sagrado Coração de Jesus, que chegou em 1888.

Destaca-se também no altar das Almas o quadro pintado por Marini em 1880, representando Nossa Senhora tirando as almas do Purgatório.

Em 1927, o Padre João Furtado Pacheco encomendou no continente Português uma bela imagem de madeira de Nossa Senhora do Rosário. A chegada desta imagem foi festajada com muita pompa e emoção pelos paroquianos. É de referir que este Padre tinha tido uma atuação verdadeiramente cristã e mesmo heróica no período da terrível gripe espanhola de 1918, que deflagrara violentamente na Lagoa.

No ano de 1946 tomou posse desta paróquia o Padre Mariano Furtado Mendonça à frente da qual esteve 30 anos. Este Padre marcou muito a vivência do Rosário, sendo um orador de verbo fácil (tanto que tirou o curso de orador sacro, existente na altura), uma personalidade muito dinâmica, um músico de profundos conhecimentos e uma pessoa de grande virtude. Foi o Padre Mariano quem procedeu a uma grande obra de conservação e remodelação da igreja, tais como revestimento de azulejos, douramento das talhas e novos lustres em ferro forjado.

A igreja sofreu um violento incêndio em Setembro de 1958. Este incêndio deflagrou na sacristia devido ao facto de uma vela ter ficado mal apagada, após um batizado. Este acontecimento abalou profundamente os lagoenses.

No início da década de 60, inaugurou-se solenemente o altar-mor, que enriqueceu a igreja. Estiveram presentes o Bispo D. Manuel Afonso de Carvalho, o Presidente da Câmara da Lagoa, Engenheiro João Leite Bettencourt e muitas entidades oficiais do Concelho.

Na sequência das decisões do Concílio Vaticano II foi consagrado um novo altar de mármore a 24 de Junho de 1973.

O pároco que se evidenciou durante três décadas nesta paróquia foi o Padre João Raposo Leite de temperamento afável e empenhado. Manteve conservada a Igreja e foi com ele que foram colocados dois vitrais em 2000 (com as imagens de Nossa Senhora do Rosário e Sant ‘Ana) e foi fundado o Orfeão de Nossa Senhora do Rosário que muito dignifica a Paróquia.

A paróquia teve de Setembro de 2006 a Agosto de 2018 como pároco o Padre Silvano António Cabral Vasconcelos. Foi com ele que se concluíram obras importantes na nossa Igreja e património anexo, tais como o Centro de Catequese, a renovação do altar do Santíssimo e do altar de Sant’Ana. Foram também colocados os restantes vitrais numa intervenção que em muito valorizou a nossa igreja.

Este é uma breve história da nossa Igreja do Rosário, que desde 26 de Agosto de 2018 tem como seu pároco o Padre Nelson Vieira.