Missão Litúrgica

A Liturgia é simultaneamente a meta para a qual se encaminha a acção da Igreja e a fonte de onde promana toda a sua força.

Na verdade, o trabalho apostólico ordena-se a conseguir que todos os que se tornaram filhos de Deus pela fé e pelo Baptismo se reunam em assembleia para louvar a Deus no meio da Igreja,

participem no Sacrifício e comam a Ceia do Senhor.

A Liturgia impele os fiéis a viverem «unidos no amor» para que sejam fiéis na vida a quanto receberam pela fé. Da Liturgia, pois, em especial da Eucaristia, corre sobre nós, como de sua fonte, a graça, e por meio dela conseguem os homens com total eficácia a santificação em Cristo e a glorificação de Deus, a que se ordenam, como a seu fim, todas as outras obras da Igreja. (SC.10)

Leitores

O leitor é um membro da comunidade a quem foi confiado o serviço importante de proclamar a Palavra, na liturgia. Deve estar consciente disso e viver a alegria e, ao mesmo tempo, a responsabilidade de ser o meio pelo qual a assembleia recebe e celebra aquela Palavra, com que Deus fala aos Seus filhos. O leitor, como “homem da palavra”, imprime vida à palavra escrita na Bíblia, a fim de que possa ser escutada e acolhida pela assembleia como Palavra de Deus.

A equipa de leitores da nossa Paróquia é constituída por 68 elementos, à qual acresce os grupos de catequese dos 4º, 6º, 7º, 8º, 9º e 10.º  anos.

Acólitos

O acólito é alguém que ajuda à Missa e a outros ministérios do altar. Tem de amar a celebração da eucaristia, pois nela está presente Jesus, o Senhor, de um modo muito especial:

– está presente no sacerdote que preside;

– está presente na Palavra proclamada nas leituras;

– está presente na reunião dos cristãos na igreja;

– está presente, sobretudo, no pão e no vinho consagrados.

 

Não basta ser um bom rapaz ou uma boa rapariga, o que é absolutamente necessário. Deve ter, antes de mais, um grande desejo de servir ao Senhor, ao sacerdote e a toda a comunidade. Deve amar Jesus de todo o coração e desejar ardentemente que toda a gente o conheça e o escute.

Para ser um bom ministro do altar de Deus, são necessárias boas qualidades e uma adequada preparação.

– o bom acólito é pontual, na hora do seu serviço, para poder preparar-se bem e sem pressas.

– o bom acólito é fiel ao seu compromisso, ainda que, às vezes, para isso, deva renunciar a outras coisas de que também gosta.

– o bom acólito é constante às reuniões do grupo paroquial ou da comunidade, à catequese, às preparações, e participa nelas ativamente.

– o bom acólito é ordenado, sabe onde deixa as coisas e preocupa-se para que tudo esteja sempre em bom estado.

– o bom acólito é amável, visto que a proximidade com Jesus no altar o ajuda a vê-lo presente nas outras pessoas.

– o bom acólito é piedoso, gosta de dedicar tempo a rezar só e em comunidade, de ler a Bíblia e de participar nos atos litúrgicos.

– o bom acólito é humilde, está atento ao que lhe ensinam os sacerdotes e as outras pessoas mais velhas da comunidade, e não se aborrece quando o corrigem; pelo contrário, agradece de todo o coração. Quer aprender cada vez mais.

Ministros Extraordinários da comunhão

Esse ministério nasceu na Igreja a partir do documento “Immensae caritatis” da Congregação dos Sacramentos, publicada a 29 de Janeiro de 1973.

O simples adulto que é batizado e crismado, homem ou mulher, pode ser encarregue de ajudar o Ministro ordenado, da distribuição do pão eucarístico, quer seja durante a Missa, devido a uma grande afluência de fiéis, ou por qualquer dificuldade particular da parte do celebrante;  ou fora da Missa levando as sagradas espécies aos doentes que se encontrem em perigo de vida, ou quando o número dos doentes é tal que exige a intervenção de vários ministros,  seja no domicílio, nos hospitais ou noutras instituições similares.

A nossa comunidade dispõe atualmente de quatro ministros nomeados.

 

Animação Musical

Orfeão de Nossa Senhora do Rosário

O ONSR, Orfeão de Nossa Senhora do Rosário, fundado em 1999, é um grupo coral de referência da cidade de Lagoa, em S. Miguel, Açores.

Com raízes fundadas no canto litúrgico, em animação das liturgias da paróquia de Nossa Senhora do Rosário, desde cedo foi ampliando o seu reportório, interpretando peças de caráter diversificado.

Este Orfeão tem desempenhado um importante papel na promoção da música religiosa e popular, interpretando peças que muito valorizam o seu trabalho e dignificam o nome da paróquia e freguesia da qual fazem parte integrante, bem como de todo o concelho de Lagoa.

Assim, a interpretação de obras do panorama coral religioso-sacro, clássico, bem como, tradicional açoriano e português integram os principais objetivos desta instituição cultural.

Por conseguinte, na procura de uma maior qualidade e excelência, este Orfeão pretende dignificar e prestigiar a sua atividade, assumindo uma ação preponderante no desenvolvimento cultural e musical do concelho e da região.

Para além do caráter musical, este Orfeão proporciona momentos de lazer e de convívio intergeracional, que cativam desde os elementos mais novos até aos de mais idade.

Por isso, se gostas de cantar, ou pretendes desenvolver os teus talentos musicais, integra o nosso projeto, aparecendo num dos nossos ensaios (terças e quintas, às 20H30), na nossa sede, nem que seja, para participar numa experiência estimulante e cativante.

Os amigos de Jesus

A animação musical das missas da Catequese Paroquial, estão a cargo de dois Grupos Musicais Adulto-Juvenis, nomeadamente “Os Andrades” e os Amigos de Jesus”.

Ambos criados em 2005, surgiriam com a finalidade de animar as missas de domingo, destinadas à Catequese.

Quinzenalmente cada grupo anima a missa, sendo que por altura das celebrações do Natal, Lauperene, Páscoa, e Festas da Paróquia, juntam-se formando um só grupo.

O Grupo “Os Amigos de Jesus” é composto por cerca de 20 elementos, 5 dos quais tocam instrumentos musicais como Violão, Cavaquinho e Trompete, sendo coordenado por João Manuel Ponte.

Apesar da sua atividade prender-se maioritariamente com a animação já referida, sempre que solicitado, o grupo anima Cerimónias de Casamentos e de Bodas de Prata, tendo também já participado por duas vezes na Noite das Estrelas em Vila Franca.

Grupo de jovens Andrade

O “Grupo de Jovens Andrade” iniciou a sua atividade no ano “2005”, tendo sido formado devido à carência de animadores para a missa das crianças, apoiado pelo Sr. Padre João Leite, que desde logo motivou e incentivou a formação do mesmo.

Inicialmente o grupo não tinha nome, sendo depois “batizado” pelo Sr. Padre João Leite como “Grupo de Jovens Andrade”, por este ser composto por membros jovens pertencentes à mesma família.

Atualmente, o grupo é formado por oito elementos dos 12 aos 38 anos, tendo duas vozes femininas, um percussionista, duas guitarras acústicas, um saxo-alto, uma trompete e um baixo elétrico. O grupo, atualmente, anima diversas eucaristias, especialmente a missa da catequese, alternando com o grupo “Amigos de Jesus”.